A vida sob pressão

Desde os tempos de nossas avós, já existiam cobranças e pressões sociais e familiares entorno do indivíduo. Quando adolescentes, as cobranças nas filhas meninas, “quando vai aprender a fazer algo em casa?”, quando meninos “vai começar a trabalhar quando?”. Quando começavam a namorar, o famoso “vai casar quando?” E quando enfim se casavam ” e os filhos? Já está na hora!”. Tudo isso, mesmo que antigo, é muito atual; sem dúvida alguma, você já passou por todas essas fases e garanto que se ainda falta alguma delas, pode esperar que virá!

Mas nós tempos de nossas avós e mães, a pressão era somente familiar e no círculo de convivência daquela pessoa, hoje, sofremos esse sentimento no meio familiar, entre amigos, mas, principalmente no meio digital.

É aquele amigo que conseguiu o emprego dos sonhos, a sua amiga que casou com muito menos tempo de namoro que você e você está aí, lutando e sofrendo, juntando cada moedinha pra se cassar. É a casa do seu vizinho que foi terminada e a sua ainda não, é a sua amiga que acabou de ter um bebê e você fica se perguntando se já não está na hora também de você ter o seu… Com tudo isso, vivemos em tempos onde a depressão, ansiedade e doenças relacionadas ao estado emocional e psicológico, tem sido cada vez mais comuns..

Por onde olhamos somos pressionados o tempo inteiro. Mas hoje, não venho aqui te dizer que tudo tem seu tempo e cada um floresce em sua determinada estação, mas venho te fazer refletir…

A que ponto você tem permitido que tudo isso afete você? Até que ponto você está permitindo que sua mente, seu emocional e sua saúde se cobre ou interfira em quem você é?

Pensado e refletido, é hora de agir.

Um beijo, fica com Papai do Céu e que Deus te abençoe ❤.

Anúncios

Autoperdão

É impressionante o número de pessoas que carregam consigo o sentimento de culpa, eu mesma já vivi isso. Por fim de relacionamentos, casamentos ou namoros que fracassaram, filhos que se perderam, amizades que acabam… Em algum momento da vida, nos sentimos culpados e algumas vezes até sem ter a menor razão.

Esse sentimento de culpa anda junto com a tristeza, mau relacionamento social/familiar, sentimento de fracasso profissional… a culpa nos impede de aprender, de seguir em frente, de se dar uma nova chance, impede de ser feliz. Talvez, você que está lendo esse texto agora, se culpe por não estar no seu peso ideal, por não ter um cabelo que considere bonito, por não conseguir fazer com que seu marido/ namorado te ame, por não ser bem sucedido profissionalmente… São tantos motivos de culpa que você carrega dentro do coração que talvez nem caberia em palavras, não é verdade? Mas hoje, eu estou aqui pra te dizer que só VOCÊ pode mudar essa história, só você pode arrancar todas essas pedras de culpas e mágoas de dentro de você, basta você se dar uma chance…

Sabe, as vezes os problemas são tão grandes que a gente acaba esquecendo do tamanho de Deus. Se Deus, que é nosso Pai, todo Poderoso, que deu seu filho pra morrer por você e por mim, nos perdoa, porque nós vamos carregar um fardo que ele já tirou faz tempo?

Se perdoe…
Chore…
Externe esse sentimento de culpa ou mágoa…

Mas não permita que isso corroa sua alma, não permita que isso te impeça de viver o melhor que Deus tem pra você.

Levanta e siga! ❤

Papo de amiga |Porque mudar, faz bem!

Hey, bunitas! Tudo bem?
É, fazia tempo que não aparecia aqui com um papo de amiga, não é mesmo? Confesso que estava com saudades de ter essa conversa íntima com vocês.

Recentemente eu mudei (de novo) meu cabelo é hoje, quero conversar com vocês sobre como um cabelo muda nossa vida, nossa autoestima, confiança…

Meu cabelo natural é preto e ondulado. Quando fiz 15 anos, resolvi mudar e fiz meu primeiro alisamento. Adorei! De lá pra cá, foram inúmeras mudanças. Já fui morena, já tive luzes, já fui ruivinha, californiana, cabelo longo, mega hair,. Médio, long bob, ufa, e só tenho 21 anos! Hahahah

Eu nunca fui presa a mudanças. Não tenho medo e isso é muito bom e ruim ao mesmo tempo. Muita gente me chama de louca, porque nunca sei o que quero pro meu cabelo. Que nunca estou satisfeita… Mas não é bem isso.

Sabe quando você está com sua autoestima baixa, mesmo se produzindo não consegue se sentir bem? Isso acontece muito comigo! Não gosto de ficar no mesmo cabelo por muito tempo, isso me incomoda, começo a ficar pra baixo. Aí eu pego toda coragem que tenho e digo pra mim mesma “bora mudar, guria!”. Seja um pequeno corte, uns cachinhos de baby liss ou cor.

Não sou louca por mudar sempre meu cabelo, como falam. Acredito que ao contrário, sou corajosa! Afinal, quem nunca teve vontade de mudar, levantar a autoestima, mas não faz por não ter coragem ou por medo se vai gostar ou não?

Mudar o cabelo é muito mais que mudança física, vem de dentro pra fora. Nós mulheres somos formadas por fases e cada fase, compõe um novo “eu” de nós. Não ter medo de mudar,  não é não saber o que quer, mas sim ter personalidade, identidade! “ah, mas estar em cada fase,  de cabelo diferente, não é ter identidade”, o contrário, não ter medo de mudar é ter identidade e personalidade  o suficiente pra ser o melhor de você mesma, sempre!

“Mas Lô, eu não tenho cabelo! ”
E daí? Amiga, joga um brincão nessa orelha, faz um Make bapho, usa um turbante, joga teu sorriso lindo pra jogo, gata! E arrasa! Isso que importa, !💜

E isso não só no cabelo, mudar o estilo, como se veste, mudar um gosto musical, enfim, mudar faz bem pro corpo e pra alma!!

Então agora levanta, põe tudo isso em prática e arrasa, guria!

Fica com Papai do céu!

Um beijo!

💜

| Preconceito/ Aceitação/ Autoestima |

Desde que escolhi trabalhar com esse mundo da blogosfera, youtuber, sabia que alguma hora iria ter que abordar este assunto. Confesso que cheguei a pensar em nem mesmo começar por conta desse fato que irei compartilhar com você. Vou falar de aceitação, autoestima, preconceito…

Meu objetivo com este relato não é causar pena, comoção. Quero falar com você de algo que faz parte da vida de muitas pessoas, inclusive você que está lendo, pode ser uma delas. E este espaço que criei aqui (Papo de amiga), é exatamente para termos esses tipos de conversas, mais íntimas, próximas.

O “problema” :

Desde guria sempre tive problemas com alergias. Sempre que algum inseto me picava, ficava muito vermelho e irritado. Com o passar dos anos, tudo isso foi piorando. Acabei descobrindo aos 19 anos que tinha muito mais alergias que pensava. Pensa numa menina que nasceu pobre com frescura de rico! Eu. 😂

Brincadeiras a parte, eu comecei o tratamento. Mas Lô, o que essas alergias tem a ver com aceitação, autoestima,preconceito??

Como disse, qualquer inseto que me morde, ocasiona um tipo de lesão. E muitas vezes esse machucadinho, deixa uma marca. Na maioria das vezes marrom.

O preconceito:

O preconceito começou quando as pessoas olhavam e de certa forma com um olhar “torto”, para mim, por ter as perninhas e braços manchados. O olhar das pessoas sempre foi de nojo, medo de que se pegue ao tocar (alergia é problema no sangue, não passa, não é bactéria, não é doença transmissível). As pessoas são muito cruéis, ignoram aquilo a que não conhecem.

Autoestima / Depressão :

No ano passado (2015), entrei numa depressão e um dos motivos foi esse meu “problema”. Mesmo estando em tratamento eu não aguentava mais ver tanta gente olhando com frieza, nojo. Minha autoestima foi a zero. Eu já não via graça em me maquiar, andar de shorts, vestido curto, saias… Nunca tirava fotos de corpo todo, só do rosto, andava de calça e vestido longo sempre. Tudo isso me abalou muito.
Com a ajuda primeiro de Deus, em seguida família, amigos, namorado, me curei.

A aceitação:

Logo após esse episódio eu percebi o cuidado de Deus e a entender seus propósitos. Confesso que as lágrimas ao tratar desse assunto são inevitáveis… Mas força na peruca! (risos)
Eu entendi que todos esses padrões que existem, todos os rótulos que nos colocam, não são nada diante daquilo que Deus acha de nós. Deus não olha para suas “perebas” (como falam pra mim). Ele não olha seus quilos a mais, sua manchinha no rosto, seu pé grande (rsrs), seu cabelo denominado “estranho”… Hey, você é linda! Independente disso tudo! E para aqueles que te amam de verdade e Deus, Aquele que te fez a imagem e semelhança dEle, você é perfeita. E isso é o mais importante e já basta!

2016-11-27 10.15.58 1.jpg

A amizade:

Ainda estou nesse processo, confesso que AINDA fico receosa em sair nas ruas de vestidos e saias e shorts… Mas eu acredito que Deus está me construindo para ser mais forte e resistente a esses preconceitos e friezas.
Eu espero que tudo isso seja moldado e que no meio deste caminho, eu possa inspirar aquelas que como eu, estão nessa situação. Estarei sempre aqui, Junto a você.❤

Se você se identificou com essa conversa ou quer me contar uma experiência, deixe aqui nos comentários.

Fique com papai do céu!